Publicado por: egle | 1 janeiro, 2013

De Repente 60

Pois é, este ano vou ficar sex…agenária. Meia entrada no cinema, fila de banco especial ( com a quantidade de velhinhos no mundo acho que não é muita vantagem).

Fazendo um rápido inventário destes anos todos,  minha vida tem sido uma sucessão de bons momentos. Um filho que, modéstia a parte, é o máximo e que este ano casou-se com uma moça  de quem gosto muito e que espero possam povoar minha casa de netinhos . Um companheiro com quem vivo há 33 anos  que até hoje me acha bonita , com quem adoro conversar e passear de mãos dadas , não é para qualquer uma.

Minha mana e sobrinha são um luxo, a mami , firme e forte do alto de seus 83 anos, tutti buona gente. A família que veio junto com o companheiro é igualmente adorável.

Tive sucesso na profissão, construí um barco lindo que embalou minha vida durante 20 anos e que agora veleja tranquilo nas mãos de outro capitão. Chego aos sessenta cheia de saúde , um pouco mais pesada do que gostaria , com muita disposição e planos .

Algumas pessoas queridas foram ficando pelo caminho, como meu pai que se foi muito cedo e que lamento não ter podido conversar mais com ele, mas vida que segue.

Para passar  este ano em grande estilo, à exemplo do que fiz nos 70 anos do companheiro, farei  mesversásios ( 1 comemoração por mês até a grande festa em Novembro, quando os 60 chegarão) .

Como bem disse Keith Richards : Getting older is a fascinating thing. The older you get, the older you want to get.

QUE VENHAM OS 70.

I+E FOX GLACIERA turma toda no Natal 2012

CASAMENTO DO SERGIO

casamento sergio 1

Publicado por: egle | 23 julho, 2012

Adeus José Feliciano

 Zé, velejador,arquiteto e amigo de muto tempo faleceu ontem, após uma longa batalha contra um cancer. Ser humano maravilhoso, tão bom, que o Ziraldo deve ter se inspirado nele para criar Jeremias , o bom.

Participante conosco do Sindicato Ajuricaba construiu o Tuareg, um veleiro de 35 pés. Fizemos várias viagens juntos, ao sul do Brasil de barco, a pé na Trilha do Ouro e na Chapada Diamantina e com Ivan e João do veleiro Yaghan em uma inesquecível viagem aos EUA.

Sua primeira tentativa de participar da REFENO  foi No TF II em 2004. Ao virarmos o focinho do cabo , quando a proa do barco apontou para NE, o Zé caiu e fraturou o femur, já abalado por conta de uma aterisagem mal feita em um salto duplo de paraquedas comemorando seu aniversário de 60 anos.

Em 2008, quando não conseguiu ir pela terceira vez a  REFENO ele me disse que sabia que não iria nunca mais. Eu disse a ele, que era bobagem que ainda havia muito tempo e que não faltariam barcos dos amigos para convidá-lo . Infelizmente o Zé tinha razão.

Como disse nosso amigo Manolo ao saber da morte do Zé: ” Se foi um amigo com todas as letras”.

Zé e Maria Helena passeando no TF II

Zé e Poker em Bracuhy

Publicado por: ivanperdigao | 15 julho, 2012

VENDEMOS O TAAI-FUNG II

A primeira pergunta que surge quando fazemos essa comunicação é “mas por que, um veleiro que vocês construíram com suas próprias mãos e no qual navegaram por 20 anos ?”.

A resposta é que após termos aproveitado intensamente nosso veleiro, percorrendo varias vezes a costa brasileira desde Florianópolis até Natal e Fernando de Noronha, termos passado inúmeras férias, feriados e fins de semana com nossos amigos e parentes nas maravilhosas águas da Baía da Ilha Grande e arredores e termos residido a bordo por diversos períodos, já fizemos tudo o que estava em nossos planos fazer com o TAAI-FUNG II.

Taai Fung na marina de Itaparica

 

Chegou o momento de passarmos nosso valente veleiro para que outra pessoa possa aproveitá-lo.

Agora vamos usar a liberdade proveniente de nossas aposentadorias para realizar um outro sonho antigo: conhecer lugares desse mundão tanto no Brasil quanto no exterior. Desde 2010 quando Egle finalmente parou de trabalhar já visitamos a França, a Inglaterra, a Alemanha, a República Tcheca, a Holanda, a Nova Zelândia, o Dubai, a Chapada dos Veadeiros, o Território das Missões, o Vale do Vinho, etc. Outros destinos como a Patagônia e o Alaska estão em nossos próximos planos.

Assim, quando qualquer de vocês vir o TAAI-FUNG II (o novo proprietário para nossa satisfação  disse que manterá o nome do barco) sugerimos que se aproximem e tentem um contato com o Sergio Rosso, seu atual comandante.

Sergio é uma pessoa muito agradável, Professor Doutor do Departamento de Ecologia do Instituto de Bio Ciências da Universidade de São Paulo, possuía um veleiro Fast 230 na área de Paraty Mirim e irá certamente aproveitar muito o seu novo barco.

O TAAI-FUNG II seguirá sendo um super veleiro, totalmente equipado para levar sua tripulação a qualquer tipo de viagem e certamente dará ao Sergio muita satisfação.

Nós, claro, teremos saudades, mas também iremos aproveitar muito nossa nova fase da vida.

Continuaremos morando na Marina Bracuhy, próximos ao mar e aos barcos que tanto amamos e mantendo nossos laços de amizade com os vários amigos velejadores que fizemos até agora.

Nessa ocasião lembramos dos versos de Fernando Pessoa: ” …valeu a pena? Tudo vale a pena se a alma não é pequena…”

Bons ventos TAAI-FUNG II.

Publicado por: egle | 2 abril, 2012

Geleiras

                                            FOX GLACIER

A Nova Zelândia tem 2 glaciers -em português geleiras – muito conhecidos , Franz Joseph  e Fox  , localizados na costa oeste e distante cerca de 60 km um do outro.

Na fase de organização da viagem, achamos que Franz Joseph parecia mais interessante, mas na hora de reservar o hotel me confundi e reservei um hotel em Fox. Estávamos com passagem para um glacier e hotel em outro, que só descobrimos na hora de pegar o ônibus. Facilmente resolvido com uma simples ligação para o 0800 da companhia de ônibus, que imediatamente re emitiu as passagens e lá fomos nós .

A cidade consta apenas de  2 ruas, poucos hotéis e dois ou tres restaurantes. Tudo gira em torno do passeio até a geleira. Existem 8 passeios possíveis, desde uma simples caminhada até o início da geleira até uma radical excursão de dois dias (veja os passeios) . Face à nossa idade avançada, dores nas costas, nos quartos e por ai vai, ficamos com medo de enfrentar as geleiras e fomos bater um papo com a guia para saber o que fazer. Após o papo optamos pelo passeio de 4 horas, duas horas para chegar a geleira mais 2 horas andando na dita cuja , com crampons  e cajados . Saímos em 2 grupos de 9 pessoas , cada grupo com 1 guia.

O dia estava lindo, quente e até a chegada na geleira nada de casacos. Chegando lá, colocamos os crampons sem os quais voce não dá um passo, casacos, luvas e toca a andar.

Os crampons tornam o passeio bem fácil pois evitam os escorregões e aí é só curtir a paisagem totalmente inusitada para nós do país tropical.

Fox Glacier

Publicado por: egle | 26 março, 2012

O Estreito de Cook

O estreito de Cook é uma faixa de água entre as Ilhas Norte e Sul da Nova Zelândia, conectando o Mar da Tasmânia a oeste com o Oceano Pacífico a leste. As águas do estreito são consideradas as mais perigosas do mundo , frequentemente apresentando ondas enormes causadas por fortes ventos . A posição da Nova Zelândia diretamente nos “40 bramadores” torna o estreito um belo túnel de vento.Mais sobre o estreito voce pode ler aqui 

Desde que decidimos vir para NZ, há cerca de 2 meses, comecei a acompanhar a previsão do tempo. Ventos de 60 e até 70 nós eram frequentes. Marcamos a data da passagem de ferry, mas avisei ao Ivan que se o bicho estivesse pegando, eu iria de avião. Sorte das sortes, pegamos uma bela janela de tempo e a travessia foi mais tranquila que a da Baia de Guanabara.

 

As vezes a passagem é assim

 

Marcador na estação do ferry

 

 

Mas nossa passagem foi assim

Foi moleza





Publicado por: egle | 22 março, 2012

Simpathy for the Devil

Cá estamos nós em Rotorua, cidade do interior da NZ, distante cerca de 230 km de Auckland. Além de ser a terra espiritual dos Maoris,esta cidade está situada em uma das mais ativas regiões vulcânicas do mundo

O parque Wai-O-Tapu (águas sagradas) é uma festa de crateras, piscinas de água e lama ferventes , muito vapor d’água e um cheiro danado de enxofre.

Assim que entrei no parque lembrei-me de Simpathy for the Devil. É aqui que ele deve morar, kkkk.

Imagem

Imagem

Imagem

Publicado por: egle | 21 março, 2012

Fly Emirates

Parece propaganda e é. Chegamos ao aeroporto para iniciar nossa viagem para NZ e recebemos no check in um voucher contendo: visto para entrar nos emirados árabes unidos, transfers ida e volta do aeroporto / hotel e uma noite em um hotel em Dubai tanto na ida quanto na volta.

 

Embarcamos no horário previsto e Ivan contou que haviam 16 comissários de bordo para atender nosso voo e tome serviço de bordo. Começamos com café da manhã servido as 3 am, depois lá pelas 10 um lanchinho básico com empanadas, chocolate, sucos e faltando umas 3 horas para chegar serviram jantar . Existe um bom espaço entre as poltronas e haja canal de entretenimento, filmes e mais filmes, series de tv, jornais.

 

Chegamos a Dubai, o aeroporto parece ter sido construído por um novo rico. Tudo é over, o pé direito é alto pra cacete, repleto de colunas de mármore enormes, palmeiras dentro do aeroporto e o free shop é enoooorme.

 

A passagem pelo controle de passaporte foi demorada, pois chegamos a meia noite e o staff estava reduzido.

 

Fomos direto para o hotel , check in em 5 minutos, lanche de cortesia e cama. Só deu para dormir 4 horas . Dia seguinte aeroporto, free shop pegar o Iphone que o namorado me deu de presente (pelo namorado eu já era apaixonada e agora estou in love com o brinquedinho novo) e partiu NZ. Dubai – Melbourne , 12 horas, 1 hora em solo e mais 4 até Auckland. Durante o trajeto Rio/Auck acho que tomamos uns 5 litros de água, só tomamos 1 copo de vinho cada um , comemos pouco e assim chegamos quase inteiros na NZ.

 

Fly Emirates, kkkkk

Publicado por: egle | 4 janeiro, 2012

Como uma onda

COMO UMA ONDA

Lulu Santos  

Nada do que foi será
De novo do jeito que já foi um dia
Tudo passa
Tudo sempre passará

A vida vem em ondas
Como um mar
Num indo e vindo infinito

Tudo que se vê não é
Igual ao que a gente
Viu há um segundo
Tudo muda o tempo todo
No mundo…

Quase 20  anos após o TAAI-FUNG II ter sido lançado ao mar ( Julho de 1992), em uma inesquecível viagem com nosso filho Pedro e com o casal Maracatu, decidimos vendê-lo.

Não foi uma decisão fácil, afinal este valente veleiro nos levou diversas vezes do norte ao  sul do país e serviu como nossa residência entre dezembro de 2008 e julho de 2011.

Estamos  vivendo um novo momento em nossas vidas. Voltamos a morar em um apartamento, temos  viajado bastante e pretendemos viajar mais daqui para a frente ( afinal não cumprimos nem 1 % dos 100 lugares que devemos ver antes de morrer) e nosso querido TF II começou a sentir-se muito solitário.
Assim, se alguém tiver interesse em um valente SAMOA 29, construído pelos proprietários atuais no Sindicato Ajuricaba, com as especificações e condições abaixo, fazer contato através o telefone (21) 93543848 ou pelo e-mail:   ivan@veleiro.net.

Especificações :

  • Samoa 29′, projeto de Roberto Cabinho Barros
  • Casco em fibra de vidro (resina isoftálica na superfície molhada), convés em ply glass (resina epoxi) estrutura totalmente madeiras de lei (cedro, freijó, compensados Bernek totalmente cedro), cola epóxi.
  • Armação em sloop com um enrolador Nautec e stay volante para storm gib; quilha de ferro fundido de 1.300 kg
  • Mastro Nautec com escada de alumínio, cabos com conexões Norseman
  • Motor diesel Yanmar  2GM20(F), 18HP, refrigeração do bloco com água doce.
  • Hélice auto-embandeirante Max-Prop 3 Blade 14X11  (EUA)
  • Carregador de Bateria Xantrex 40A, 12V
  • Geladeira Waeco Cold Machine VD 04
  • Enrolador de Genoa Nautec nº 2
  • Pau de spinnaker, trilho e carrinho para o pau de spinnaker no mastro
  • 3 sistemas de rizo na retranca, 1 boom preventer
  • 1 vela grande, 1 storm gib, 1 genoa de enrolador 135%, 1 balão assimétrico
  • 1 âncora Bruce legítima de 10 kg com 60m de corrente calibrada (para o guincho elétrico), 1 âncora Fortress FX-16 com 10 m de corrente e 60m de cabo, 1 âncora Danforth 15 kg
  • Guincho elétrico Lewmar Ocean 1 , Gipsy/Capstan, com controle na proa  e no cockpit.
  • 2 gaiútas Lewmar 50×50 e 7 vigias Lewmar
  • Bimini e Targa estrutura inox integrada, Dodger estrutura inox. Targa com equipamento manual para subida/descida do bote inflável e do motor de popa.
  • Rádio VHF Standard Horizon Intrepid LE GX 1265S
  • Rádio SSB,  ICOM  IC 706, MK II, HF/VHF, frente destacável com acoplador automático de antena.
  • Radar Raytheon SL 70 Pathfinder
  • GPS Garmin 76
  • Piloto Automático Autohelm 2000+
  • Ecobatímetro Horizon DS 45
  • Bússola Platismo Contest
  • Gerador Eólico Air Marine (necessita serviço)
  • Chave elétrica geral Guest para 2 bancos de baterias (1 x 100 Ah para o motor + 3x100Ah para uso geral).
  • 2 painéis solares Siemens M65 com controlador automático de carga Sunset Charge Controller CC 10000.
  • 2 tanques de água, separados, com 80 litros cada.
  • Fogão de aço inoxidável, a gás GLP , com 2 bocas e forno
  • Pia da cozinha com cuba inox profunda, água doce e água salgada por bombas Whale de pedal
  • Pia do banheiro com água doce por bomba de pé e chuveiro com bomba elétrica Parr
  • Chuveiro no Cockpit com água doce alimentado por bomba elétrica (mesma do banheiro)
  • Vaso sanitário LaVac com bomba Henderson manual e uma bomba Henderson manual completa de reserva.
  • 1 tanque principal de Diesel todo em alumínio especial, 60 l de capacidade, com copo inferior para coleção de água e detritos equipado com registro manual para descarga.
  • 1 tanque de diesel de reserva, portátil, em plástico, conectável diretamente ao filtro primário de diesel (filtro Racor)
  • 1 filtro de diesel primário (filtro Racor)
  • 1 painel elétrico principal Heat Interface DC Control (12V com 20 posições equipado com chaves magnéticas)
  • Luz de tope 5 light (navegação, âncora e estrobo)
  • Luzes de navegação no nível do convés.
  • Luz de cruzeta (iluminação do convés)
  • Sistema de 110V para conexão ao cais, com chave magnética de proteção, 3 tomadas internas e conector externo Marinco all weather
  • Alternador Balmar de 100A (em substituição ao original de 50A que fica como reserva).
  • Controlador de carregamento inteligente Balmar ARS III
  • Toda a fiação elétrica original com cabos estanhados importados.
  • Bote inflável MiniFlex com bomba manual e remos.
  • Motor de Popa Honda 2HP, 4 tempos, refrigeração a ar, pouco uso.
  • Enorme inventário de peças sobressalentes, cabos, material elétrico, toldos
  • Pintura de fundo nova (setembro 2011) tinta Internacional Micron Premium, 1 demão vermelha e duas cinza.
  • Preço: R$ 120.000,00

Taai-Fung II em Santo André, Bahia

Nossa sala

Inaugurando a geladeira , Janeiro 2009

Este barco tem espaço. Coube tudinho !!!

Publicado por: egle | 28 novembro, 2011

Todos os caminhos levam a Roma

Em Roma como os romanos.

Roma não foi feita em um dia.

Roma , cidade eterna.

Quem tem boca vai a Roma.

Ir a Roma e não ver o Papa.

Alguém lembra de mais algum?

Ivan no coliseu

Coliseu

Piazza Navona

Delicioso

Publicado por: egle | 23 novembro, 2011

Tem um escorpião no meu bolso

O título deste post seria”viajando na época certa”mas Ivan poderia achar que era provocação. E seria ! Já havia mencionado ao Ivan várias vezes o meu desejo de viajar para a Europa no final do outono ou no inverno, sempre rechaçado por ele , com o argumento correto, reconheço, que poderia ser muito frio.

Minha contra argumentação era que as atrações não estariam cheias, que seria gostoso curtir um friozinho, mas no fundo havia um “side benefit” : o escorpião que me morde cada vez que eu coloco a mão no bolso ia ficar mais calmo, pois os hotéis ficam até 50 % mais barato nesta época.

Está tudo dando certo até o momento: o tempo tem estado muito bom , sem chuvas e com temperaturas em torno de 15 graus, estamos visitando todos os lugares turísticos sem enfrentar filas e ficando em hotéis e B&B muito bons pagando pouco!!! O tempo hoje estava tão gostoso que saímos sem luvas, cachecol e ainda tomamos um delicioso sorvete.

P.S. Fiz minha primeira refeição ruim na Itália, pedi um risoto ao funghi que parecia aquele de saquinho do “Tio João”.

Nossa pousada em Siena

Praça do Mercado - Siena

Curtindo o tempo bom - Siena

Older Posts »

Categorias